Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Ele, o microfone e a mamã

13
Set18

Carta aberta à professora Cristina (que ainda não conheço...)

Liliana Silva

foto_escola_tiago copy.jpg

 

 

Querida Professora Cristina, 

Ouvi o seu nome há poucos dias e pensei que deveria escrever-lhe estas palavras, mesmo que ainda não nos conheçamos. Senti-me tentada a colocar neste texto o que me vai na alma já há alguns meses e mais agora nestes últimos dias.

Sou mãe de primeira viagem, e quando assim é somos mães de primeira viagem em tudo. Ora na colocação das fraldas, ora na toma do banho do bebe, ora na primeira ida às vacinas. Mais tarde vem o aperto no coração por ter de deixar o rebento com pessoas desconhecidas (no caso o infantário) e eis se não quando chega o primeiro ciclo. Pois assim é, sou mãe de primeira viagem do pequeno principe T que vai ingressar esta ano na primeira aventura séria da sua vida. 

Deixe-me dizer-lhe que apesar de tudo o que sinto cá dentro, não reflecti isso no mini da casa e como tal ele vai de mente aberta e como sempre com aquele heroísmo que gabo às crianças desta idade, sem medos ou receios do que por aí vem. Tem noção que alguma coisa será diferente da pré-primária mas nem fala do assunto, nem me parece ainda ciente que isto da escola primária já o torna num mini adulto sem querer.

Já eu trago as emoções ao rubro e não tento disfarçar em nada esta situação (pelo menos aos demais que comigo socializam). Por isso tive necessidade de escrever-lhe estas palavras. 

Vou entregar-lhe o meu bem mais precioso (creio que já tenha ouvido isto inúmeras vezes) mas é assim que uma mãe vê a sua cria. Não sei se é mãe, não sei onde mora, não sei os seus hábitos...há coisas que não interessam para esta nossa relação que agora se inicia. Interessa-me que saiba que vai acolher na sua sala muitos meninos e todos eles terão os seus feitios bem vincados, a inquietude no corpo, a timidez na fala (ou então não...) e a esperteza das primeiras tentativas. Entre eles estará o princípe T. Um menino de luz e um mini musical. O Tiago não se entusiasma com muita coisa mas tem uma grande paixão...a música. Ele fala a cantar, exprime-se a abanar o pé, pinta um desenho a fazer ritmos com o lápis, abana a cabeça quando lhe contamos uma história, enfim ele gira à volta da música e será por aí que o conseguirá cativar.

Mas mais para além disto, na sala e com ele ficará o meu coração de mãe de primeira viagem. Deste lado está o medo, a ansiedade, a inquietude na mente e no coração. As asas dele estão a ficar maiores. Vou deixá-lo voar um pouco mais longe, ainda por perto eu sei, mas já sem o controlo da educadora e auxiliares que o acompanharam até aqui. Sabe, até aqui fui brindada com pessoas de um coração gigante que sempre acalentaram esta minha missão de mãe. Tivemos a sorte (ele e eu) de ter ao nosso lado profissionais de gabarito e sobretudo seres humanos de excelência que nunca me deixaram ficar na dúvida em nada, e a partir de agora vou deixar de receber fotos a meio do dia de brincadeiras que ele tem, vou deixar de poder enviar mensagem sempre que o deixar mais triste ou preocupado, não será tão fácil ligar apenas porque sim...uma série de coisas que vão fazer falta à minha segurança interior.

Por isso professora Cristina estou a confiar em si para, na medida das suas possibilidades e sabendo das diferenças abismais que tem uma pré de uma primária, olhar pelo meu menino, tal como faria por uma pessoa que gostasse muito. Sei que vão ganhar confiança mútua, que serão amigos dentro da amizade possível entre uma professora e um aluno e quero sobretudo acreditar que apesar do distanciamento que deve haver nestas relações, nunca se distancie o suficiente para saber sempre um pouco mais dele. Peço-lhe atenção quando o achar mais quieto porque pode estar doente, peço-lhe atenção quando o achar mais triste porque pode ter acontecido algo extra-escola, peço-lhe atenção quando o vir meio perdido de pensamentos porque pode não estar a perceber nada do que lhe está a transmitir.

Ficar-lhe-ei eternamente grata se conseguir mantê-lo colado também ao seu coração, como ele tem facilidade em se colar a quem o trata bem. Sabe que isto das emoções são meio caminho andado para que a nossa mente consiga reter o essencial. Espero que possam sorrir muito e gargalhar ainda mais!

Teremos oportunidade de conversar em privado. Terá oportunidade de perceber que não quero ser diferente de nenhum pai e mãe. Saberá que não quero tratamentos especiais. E não tenho nos meus planos que o meu filho seja o "queridinho" da professora". Peço-lhe apenas que para além da relação professora-aluno, possam construir uma história de vivências bonitas que ele e eu possamos recordar no futuro, porque é nas suas mãos que ele ganhará o gosto pela escrita, pela leitura ou até pelas contas. Mas será sobretudo pelas suas mãos que ele vai ganhar asas maiores. E serão essas asas, e a estrutura que elas conseguirem ganhar, que ele vai caminhar por este mundo fora. Será só mais um para si, mas é O meu para mim!

Querida professora Cristina agradeço-lhe muito o tempo que dispensou ao ler estas minhas palavras (se é que elas lhe chegarão...) e desejo para si, para todos os meninos do primeiro ano e para o meu pequeno princípe T um excelente começo, um aventurado desenrolar e um final feliz nesta nova etapa que agora se avizinha.

Assinado: A mãe galinha com um pinto de asas a crescer   

12
Set18

PAI - Porto Abrigo Incondicional - PARABÉNS

Liliana Silva

IMG_20170912_133930527.jpg

 

Ao contrário Dela, não gosto de rezar. Não me compatibilizo com o Deus dela. Não me identifico com as suas escolhas. Nunca gostamos quando nos roubam "algo" e Ele já me tirou muita coisa boa.

Mas Ela sempre soube ensinar-me a encaminhar esta relação da melhor forma que sei, e se não costumo rezar, costumo agradecer-Lhe. Se não costumo rezar costumo pedir-Lhe um pouco de atenção. Acho que não me tenho saído assim tão mal nesta relação e sei que Ele também tem ajudado a tal.

E hoje é dia de Lhe relembrar que preciso Dele, mas sobretudo preciso de ti, meu pai e amigo. Hoje é dia de Lhe dizer que preciso que te mantenhas assim meu porto de abrigo!

Desejávamos que as coisas tivessem sido diferentes. Sonhámos com um futuro diferente. Projectámos rumos distintos. Mas a vida, o destino e as circunstâncias alteraram em muito a nossa caminhada. Rimos e choramos com a mesma facilidade. Chocamos de frente sem que nos apercebamos do feitio idêntico que temos. Não somos perfeitos mas acredito que esta nossa relação é especial. És sem dúvida um candeeiro vivo na minha vida. Permites iluminar as minhas noites de angústia e trazes contigo o sol que necessito para continuar o meu percurso. Raramente te vi impedir-me de algo. Deixaste-me cair para sentir na pele as agruras da vida e estás sempre cá para me resgatar. 

Sorte a minha que te tenhas cruzado na minha vida. Sorte a minha por te terem dado a tarefa de seres MEU! Meu pai, meu amigo, meu confidente, meu leão. Agradeço-Lhe tudo isto porque sei que sou uma abençoada. Porque sei que não poderia ser de outra forma.

Ainda que as coisas não sejam perfeitas, ainda que resmungue muito, ainda que muitos achem que sou tua mãe, a verdade é que me sinto tão ou mais responsável por ti do que tu por mim. E que assim seja por muitos muitos anos. Não me importo de ser rotulada de chata e de resmungona. Só sou plenamente feliz se estiveres bem e daí vou estar sempre aqui para te perguntar como estão os valores da glicémia, para saber da tua tensão, para questionar como estão as tuas pernas inchadas, para confirmar que já tomaste a pilha de comprimidos que todos os dias tens de fazer, para me certificar que levaste a insulina certa, para te perguntar mil e uma vezes se estás bem e como te sentes. Perdoa-me mas preciso de te sentir bem para levar o meu dia melhor.

Aprendemos, com as pancadas que a vida nos dá, a celebrar os dias e não os anos. Hoje celebro mais um dia ao teu lado e hoje apagamos as velas dos teus 68 anos. 

Obrigada por seres o pai atento e preocupado, o avô dedicado e brincalhão, o marido de lembranças vivas. Mereces o melhor e eu cá estarei para tentar proporcionar-te o que de melhor temos para te oferecer...o nosso amor e dedicação. AMO-TE ETERNAMENTE ❤

Parabéns PAI. Parabéns meu Porto de Abrigo Incondicional.

 

04
Set18

Parabéns.... São 6 ❤

Liliana Silva

 

IMG_20180816_114935119.jpg

 

Olho o horizonte em busca de palavras que me façam descrever-te como és na realidade...

Procuro ao fundo as luzes do conhecimento para que todos possam perceber aquilo que significas de verdade...

Levanto os olhos em direcção às estrelas para encontrar o verdadeiro significado que vieste trazer à minha vida...

E de tudo o que faço, de tudo o que procuro, de tudo o que acho...vem-me uma única certeza...Nunca terei capacidade de expressar o quanto és, o quanto significas, o quanto vales, o quanto estás...

Creio que não terás nunca a capacidade de perceber, por muito inteligente que sejas, este amor que te tenho. Não terás nunca capacidade de perceber como te carrego no coração e na alma. Não terás nunca entendimento suficiente para saber que estes sentimentos por ti são extra naturais. E são porque como te escrevo muitas vezes, vieste trazer significado a uma vida que estava despedaçada. Tinha a minha vida nas mãos, em cacos, como se de um copo de cristal falassemos. Conseguiste juntar tudo, aos poucos e lentamente mas conseguiste.

Lamento não te ter amado desde que ouvi o bater do teu coração, desde o teu primeiro respirar, desde o teu primeiro choro. Lamento muito ter-te recebido em clima de choro e tristeza, envolto em clima de morte e de luto. Lamento se não tive a capacidade de me distanciar quando te "puxei" a última vez para este mundo exterior com a certeza que a partir daquele momento, tudo o resto deveria ser minimizado. Não o fiz nem o consegui fazer. Sei que o que fiz foi sobreviver e carreguei-te no colo para que sobrevivesses comigo...

E o que fizeste tu???

Deste-me a maior lição de vida que tenho até hoje!

Ensinaste-me a amar de um jeito que nunca ninguém será capaz de amar!

Ensinaste-me que um ser precisa sempre de uma força maior para continuar a lutar.

Ensinaste-me que isto de ser mãe tem muito que se lhe diga e pouco de perfeição e de coisas bem feitas.

Ensinaste-me que não há limites, quando o brilho no olhar de quem amamos será sempre a nossa maior arma.

Continuo revoltada com o nosso Deus, mas agradeço-lhe todos os dias ter-te posto no meu caminho...és especial, não por ser meu, mas porque trazes no teu interior um brilho e uma luz únicos, que me fazem sempre olhar o horizonte com a certeza de que não somos perfeitos, somos especiais.

Só poderias ser TU...não fazia sentido que fosse de outra maneira... TU és a luz dos meus olhos e a melodia dos meus dias...

Sortudos daqueles que têm o privilégio de cruzar o teu caminho, única e simplesmente pela alegria pura que transmites. És sem dúvida um menino de ritmo e de felicidade.

Sabes quanto pesa a palavra saudade?! O mesmo peso que carrego porque te amo!! Não sei falar de ti sem que sinta saudade dela e não sei pensar nela sem que do amor que te tenho me lembre.

Parabéns pequeno príncipe T

Parabéns meu querido mananeco

Parabéns mini meu

Parabéns filho meu e do mundo

 

01
Set18

O ETERNO SETEMBRO DAS NOSSAS VIDAS

Liliana Silva

setembro-TatiC.jpg

Chegou...

Veio para ficar...

Para ver e para estar...

30 dias mais para caminhar ordeiramente carregando no corpo a ânsia de ser ainda mais feliz.

Setembro está aqui...o nosso Setembro...o mês a vida, de celebração, de pausa e de animação. 

Setembro está aqui...o teu Setembro...o mês em que fechas uma mão e começas a segunda com maior entusiasmo, mais responsabilidade e renovadas etapas.

Setembro está aqui...o Setembro dos regressos para uns e de pausas para outros. 

Nós juntamos tudo...fazemos um mix...e voamos ao som das gargalhadas e das chamadas de atenção. 

Neste Setembro ganhas a tua primeira maioridade e de mãos juntas vamos trilhar novos caminhos...

Vem daí Setembro...estamos prontos para te receber de chinelos e de te dizer adeus de mochila às costas.

15
Ago18

A VISITA AO QUARTEL DOS BOMBEIROS

Liliana Silva

IMG_20180814_114330753.jpg

 

Ontem pela manhã decidimos sair de casa com o intuito de visitar as novas obras de arte urbana da cidade. Confesso que aquela que mais me prendia a atenção, das muitas que já temos por cá, era uma situada no largo ao lado dos Bombeiros Voluntários. Um mural lindíssimo, com cores de fogo e bombeiros a combater. Não haveria local melhor, e muito menos figuras mais verídicas para retratar. Está realmente fantástica.

Depois das fotos tiradas, as possíveis dado o tamanho do mural, o pequeno príncipe T confidenciou que o que queria mesmo era visitar o quartel dos bombeiros. Achei que não seria possível, dado que não tinha feito qualquer contacto com o quartel a pedir informações, mas decidi fazer-me de "heroína" e satisfazer o pedido do mini cá de casa. Em direcção à montra de carros de combate, ambulâncias e desencarcerador, o T começou a ficar entusiasmado e a correr em busca dos automóveis. Ainda tentei pegar nele ao colo e mostrar-lhe tudo de fora, mas óbvio que  ideal seria ter quem nos fizesse visita guiada 

"Soou o alarme" interior da boa vontade daquela gente e só oiço uma voz "olha está ali um miúdo, importaste de lhe mostrar as viaturas?" nisto surge atrás de nós o herói daquela manhã para o pequeno príncipe T, o bombeiro João Tiago. Alto, magro e com um sorriso cheio de paciência pergunta o nome ao miúdo e começou ali a nossa curta mas tão deliciosa visita às principais viaturas dos bombeiros. O mini esteve no carro desencarcerador, viu a "tesoura" que "recorta" os carros quando há acidentes, viu as mangueiras do carro que abastece as viaturas mais pequenas e delírio dos delírios "conduziu" uma ambulância em marcha de emergência, ligou as luzes e tocou a sirene.

IMG_20180814_113734243.jpg

 

Demorou pouco mais de 10 minutos esta experiência, foi de uma simplicidade extrema, mas o bombeiro João Tiago conseguiu surpreender o pirralhito e deixá-lo com aquele sorriso rasgado e com o brilho no olhar.

IMG_20180814_114245204.jpg

A ele o meu muito obrigada pela paciência para as perguntas e para o colo de carro em carro que dispensou ao meu filho. Aos Bombeiros Voluntários o meu eterno agradecimento por tudo o que deixam para trás em prol das nossas vidas, e aos Voluntários da Covilhã, um bem-haja especial porque continuo a precisar de vocês, ainda que indirectamente, continuamos a servir-nos dos vossos préstimos há já 14 anos

Ps. O livro Pafi e o incêndio no parque de merendas está a venda nas cadeias de hipermercados Intermarché e é já o segundo livro de Lara Xavier e Raquel Santos, que fala destas temáticas dos fogos para os mais novos. Recomendo a 100%

#bombeirosvoluntariosdacovilha

#pafi

 

 

09
Ago18

Entrevista com Magda Santos - CAM certificada

Liliana Silva

DSCN7364.jpg

 

 

Terminada que está a semana Mundial do Aleitamento Materno, e depois de alguns testemunhos que recebi em jeito de desabafo, em jeito de consagração, em jeito de felicidade, havia ainda um tema que tinha curiosidade em remexer...

O conceito é recente, e muito ouvimos falar sobre ele. As CAM - Conselheiras de Aleitamento Materno são pessoas certificadas que ajudam mães e bebes a procurar a melhor forma de encarar este tema tão importante para ambos.

Decidi por isso ir em busca de quem me pudesse elucidar sobre o assunto e mesmo "por perto" tenho a minha querida Magda que me fez o favor de responder a algumas perguntas mais pertinentes sobre a sua função enquanto CAM.

Agradeço desde já a oportunidade, a paciência e a disponibilidade para me explicar este assunto tão assertivamente. E um obrigada ainda mais especial por todas as mães que ajudas.

 

  • Como surgem as CAM?

"O curso de Aconselhamento em Aleitamento Materno vulgo CAM é um curso desenhado pela UNICEF e OMS que surge no âmbito da iniciativa Hospitais Amigos dos Bebés para uniformizar e dar competências aos profissionais de saúde na área do aleitamento materno. Foi alargado a mães no sentido de poderem prestar apoio inter pares, de forma voluntária no âmbito de grupos de apoio. A figura de conselheira, cam, foi uma designação que se criou no decorrer da prática, mas não existe de facto oficialmente, isto é, não é uma profissão. Há países em que é designada como conselheira, outros como assessora, etc. É só uma forma de se perceber quem tem formação nesta área e pode ajudar com mais competência. "

  • Quando se deve procurar ajuda de profissionais especializados nesta área?

"A acção de uma CAM está direcionada para o aleitamento e todas as questões inerentes. Vai desde a pequena dúvida que possa surgir até uma dificuldade real em que sinta que necessita de uma ajuda mais de perto. As dificuldades mais comuns são as ligadas ao não aumento de peso e á dificuldade de fazer uma boa pega – um bom abocanhar da boca a auréola da mama da mãe. O auxílio prestado pode ser feito pelo telefone, sms, ou até mesmo presencial. Também ajudamos as mães que decidam não amamentar em qualquer necessidade de ajuda que surja. O regresso ao trabalho costuma ser também um momento de grandes dúvidas e inseguranças e por fim a introdução da alimentação complementar. A importante referir que a ajuda das CAM da SOS amamentação na qual me incluo é gratuita."

 

  • Existe ou não o tão denominado “leite fraco”?

"O leite de qualquer mãe é o melhor que pode haver para a sua cria e por isso NÃO, NÃO EXISTEM LEITES FRACOS!

Somos mamíferos, como tal amamentamos as nossas crias não há nada tão natural e biológico como isto.

O leite de vaca que estamos habituados a ver sair do pacote tem sempre a mesma espessura e cor mas não é por isso que é mais forte muito pelo contrário. O leite humano varia ao longo da mamada e até mesmo ao longo do dia. Varia na sua espessura, cor, sabor, e propriedades, de mãe para mãe e de acordo com cada bebé ao longo do seu crescimento e face as suas necessidades naquele momento."

 

  • Agora a título mais particular, como é que isto de ser CAM ajudou na fase de amamentação da tua filha?

"Quando eu tive a minha filha ainda não era CAM (2015) mas já sabia da sua existência. Lia bastante sobre o tema da amamentação e tinha já alguns conhecimentos que me deixaram mais segura daquilo que estava a fazer de bem. No entanto, também eu precisei da ajuda de mais do que uma CAM para estabelecer a minha confiança e deixar fluir o que é natural e biológico. Em 2017 senti necessidade de fazer esta formação para poder ajudar outras mães e bebes nesta história de amor em estado liquido que é a amamentação. Este mês já fizemos 39 meses deste amor!"

 

 

07
Ago18

Testemunhos com Vida Dentro - Parte II

Liliana Silva

38536408_1901377076589885_5749673135767027712_n.jp

 

 Em mais um testemunho, hoje deixo as palavras da querida Ana Fonseca que em tudo diferem do testemunho de ontem mas que tem um ponto em comum com todas as mães...querer o melhor para o seu bebé sem nunca esquecer a sua parte psicológica...porque se nós não estivermos bem, eles também NUNCA estarão. 

 

"No meu caso foi ao contrário. Algumas pessoas diziam para insistir quando eu não aguentava mais fazê-lo. Amamentei o Guilherme até ao dia que fez 1 mês. Nesse dia disse basta. Tive sempre o apoio do marido, pais e amigas. Mas a decisão de parar foi minha. Nunca foi confortável para mim, chegou a ser muito doloroso. Procurei vários tipos de ajuda mas não me senti confortável com nenhuma delas.
E se antes de ser mãe questionava quem optava por parar de amamentar (por falta de informação e por nunca ter passado por lá, claro), depois de o ser respeito muito o bem-estar dos bebés mas respeito igualmente o bem-estar das mães, que têm de tomar conta dos filhos e delas próprias. Uma mãe que não está bem e confortável não consegue estar bem para o seu bebé. Sempre quis muito amamentar mas acabou por correr tudo de forma diferente. E não me arrependo da decisão que tomei. Se voltar a ser mãe posso até tentar mas se me sentir novamente desconfortável páro imediatamente. Não questiono a qualidade do LM e as suas vantagens, obviamente... nem há comparação. mas o LA existe para ser usado quando preciso. E ainda bem!
A quem quer amamentar e que gosta de o fazer e que corre como desejaram, fico mesmo muito feliz!
Todas as opções são válidas e eu respeito muito todas elas ❤️

(E sim Lili, nestas alturas é fazer ouvidos moucos e seguir o nosso coração)."

 

Obrigada querida Ana por partilhares com o nosso cantinho este teu pedaço de vida.

06
Ago18

Testemunhos com Vida Dentro - Parte I

Liliana Silva

12.jpg

Sobre a semana Mundial de Aleitamento Materno, que termina amanhã, 07 de Agosto de 2018 temos recebido alguns testemunhos de mães nas mais variadas situações. Decidimos por isso, e dado ser algo que já há muito tenho pensado, criar a rubrica "Testemunhos com vida Dentro". Aqui fica o testemunho da mãe Ana Teresa que nos mostra que as coisas têm de ser o mais naturais possíveis.

"Liliana Silva permita me deixar aqui o meu testemunho, que foi a minha primeira experiência. 
A Benedita tem agora 4 anos, em toda a gravidez, sinceramente, nunca pensei muito sobre a verdadeira importância de amamentar ou se iria mesmo amamentar. Benedita nasceu com 4,120 Kg e como ficou ictérica (amarelinha) teve que fazer a fototerapia durante 48h. É normal um bebé após o seu nascimento perder peso e pelo simples facto de ter feito a fototerapia, a Benedita perdeu mais de 10% do peso com que nasceu e segundo o pediatra teve indicação para fazer suplemento.
Senti naquele momento (ainda no internamento) um choque tão grande.
Tivemos alta (a um Domingo)com indicação de fazer suplemento a cada mamada...sinceramente inconformada com a situação.
A Benedita em cada mamada, mamava as duas maminhas o tempo que queria e depois lá ia eu absolutamente contrariada preparar os 30mL de suplemento para lhe dar...nunca os bebia totalmente e só aceitava o biberão mamada sim mamada não.
Na madrugada de terça-feira disse para o João (o papá) desculpa mas isto tem de acabar (foi mesmo a expressão que usei) sempre que ela tiver fome eu vou lhe dar a mama...E assim foi...segui o meu instinto.
Amamentei em exclusivo até aos 6meses e continuei até ela querer...lutei muito, ouvi tanto, os piores comentários foram de mães, existiram momentos que me senti quase que pressionada para desistir...mas não cedi. Era o melhor que podia dar à minha filha e passei a não ligar, não foi fácil confesso mas por ela todos os comentários maldosos valiam zero.
Passado pouco tempo dela fazer os 3 anos descobri que as nossas vidas iam ficar mais preenchidas, o Bernardo vinha a caminho.
Assustei me...como ia eu fazer com a maminha? Corri para a pediatra...para saber como ia lidar com esta situação.
Deixei que tudo acontecesse naturalmente e assim foi...amamentar grávida.
Em Setembro a Benedita entra para a pré escola e nos finais de Outubro deixou a mama...deixou de pedir.
Com o nascimento do mano ficámos na expectativa como iria ela reagir...lá quis provar mas dizia sempre que o leitinho AGORA era do mano.
Partilho a minha experiência e dou um grande conselho não desistam à primeira não é fácil, peçam ajuda e sigam Sempre o vosso coração, o nosso instinto de mãe e proteção são os mais certos 😉.
Beijinhos"

 

Obrigada pela partilha e pela oportunidade de me deixar expor o seu testemunho 

02
Ago18

Não gosto do Agosto!!

Liliana Silva

IMG_20180801_140431283.jpg

Ena pá...tudo à espera do grande mês. Tudo de malas aviadas, carros carregados, filhos despachados e família pronta para as merecidas férias.
E cá venho eu ser do contra (o que já é hábito) para dizer que dispensava o Agosto na sua essência ...

E chego a casa no primeiro dia de férias do meu filho e deparo-me com este desenho...

E claro não posso gostar do Agosto!! 

O entusiasmo dele contrasta com aquilo que tenho de lhe transmitir... "olha mãe é a praia, quando vamos? Já estou de férias..."

E lá vem aquela parte que eu dispensava do Agosto...explicar a um miúdo que sim senhor ele está de férias, mas os pais ainda não! Explicar a um miúdo que vai passar um mês em "casa" porque as férias só chegam lá para o final quando for quase tempo de regressar. E agora pensam vocês e muito bem...ah e tal porque não tiram férias em Agosto?? 

Realmente era uma solução, mas caramba Agosto sufoca-me só de pronunciar o seu nome, só de pensar nos seus dias, só de me imaginar com dias livres neste mês da confusão...

Sim porque pedem que Agosto passe devagar e que venha para ficar mas verdade seja dita...Agosto é sinónimo de agitação tal, que me cansaria ainda não tinha posto o pezinho na areia....

Lamento Agosto mas não dá...

E não dá muito mais quando vejo o mini ter um mês sem a minha presença, em que tenho de o deixar com o avô para ir trabalhar, em que perco as aventuras dele na piscina, as risadas dele no parque, o entusiasmo dele pela serra...sim porque ele tem férias mas a mãe tem de dividir os 21 dias que dispõe para conseguir fazer face a outras tantas pausas que os miúdos têm ao longo do ano lectivo...sim porque lá os senhores das estatísticas dizem que o país está envelhecido mas nada se faz para combater isso,nomeadamente no que toca ao acompanhamento dos nossos filhos. 

Ai Agosto...perdoa-me mas passa rápido...nós também precisamos desfrutar dos momentos de acalmia e serenidade. 

28
Jul18

Estou a crescer contigo...

Liliana Silva

 

20180714_232624.jpg

Mais uma vez...

Quando digo que cresço contigo pode até parecer cliché, maluquices ou exagero da minha parte, mas a verdade é que é assim que me sinto...a vencer etapas ao teu lado.

Nesta profissão de mãe não há, como todas nós sabemos, um manual de instruções que nos ajude a desenvolver as nossas aptidões. Deitam-nos aos lobos e desenrascamo-nos o melhor que sabemos e podemos. Não fui nem sou excepção. Já fiz muito asneira contigo (nada de grave, não fiques apavorado), mas deitando o olho para trás percebo que o que ficou depois do meu ombro, lá atrás, poderia ter sido feito de outras maneiras não tão duras para mim como para ti. 

Esquecendo no entanto o que "lá vai lá vai" sinto-me mais madura, mais compreensiva, mais coerente. E ontem deitei-me com o sentido de missão cumprida para mais um dia.

Depois de um dia que foi daqueles "para esquecer", daqueles em que me apetecia deitar a cabeça na cama e tapá-la com a almofada sem ouvir nada nem ninguém, daqueles dias em que não há paciência nem para os meus pensamentos quanto mais para tomar conta de uma criança como tu...começas a choramingar e chamas por mim...

Na primeira tentativa acalmei-te ao longe dizendo que estava no quarto ao lado, mas percebi que aquilo não estava a resultar e levantei-me...chego à porta do quarto e percebo a tua aflição, o teu medo e mesmo o pânico...olhas e desatas num choro desenfreado e percebo que precisavas da minha presença...

Estava com a cabeça a mil, pronta para chorar também, a precisar de colo e a não ter de dar explicações sobre nada...mas tu também estavas ali, frente a frente comigo com uma vontade imensa de um abraço e de um limpar de lágrimas. Era meu dever entrar em acção e vestir a capa de mãe. Respirei fundo, levantei-te para o meu colo e percebi que tremias. Falavas em monstros, em bichos papões, em mortes...respirei fundo novamente e fiz-me à estrada das tuas preocupações. Percebi logo, que ali a minha missão era guardar os meus problemas na gaveta da minha alma e tentar resolver os teus. 

Expliquei-te aquilo que consegui da forma mais simples e sem dramatizar...e sabia que de nada me valia voltar a deitar-te ali se ainda tinhas o coração a mil. Peguei em ti e levei-te para a minha cama...era lá que ontem pertencias, era daquilo que ontem precisavas e eu soube-o num click, sem desesperos nem gritos...superei-me e sinto-me orgulhosa por isso! Fui capaz de te dar a paz que necessitavas e depois disso mais nenhum problema meu fez qualquer sentido. Agarraste a minha mão e adormeceste em cinco minutos, calmo e tranquilo. 

Superei-me!

Não sei qual o significado de tudo isto, divago muito sobre a minha missão ao ser tua mãe. Não sei se "alguém" me pôs à prova ontem. Não sei...tenho as minhas teorias mas nunca as certezas que gostaria. Sinto que algures, alguém percebeu o meu estado de espírito de ontem e me fez parar para reflectir...Assim o fiz...e assim adormeci mais tranquila. 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D