Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Ele, o microfone e a mamã

Um mês de Mim mesma e dos outros

Liliana Silva, 13.04.20

92749131_10222269694400991_8066188172343640064_o.j

Há precisamente um mês entrava na minha casa com um aperto no coração e uma grande interrogação na alma. Falava-se muito, ouvia-se ainda mais, as notícias tornaram-se pesadas e as ruas mais vazias. O silêncio ensurdecedor das estradas antevia um cenário para o qual não estava preparada. 

Nesse dia, almocei com o meu pai pela última vez, abracei-o já a medo e despedi-me com um "até já e não te esqueças que estou sempre aqui ainda que possa não estar presente fisicamente".

Nesse dia, sexta-feira, o Tiago andou nos baloiços da escola pela última vez até então, e disse aos amiguinhos que ia ficar tudo bem. Convictos que seriam apenas umas férias mais prolongadas, mas que passariam rápido e logo regressariam à rotina das corridas e das trapalhadas.

Nesse dia, falei presencialmente com os outros pais e concordámos todos que ia ser duro (mal nós sabíamos o que por aí vinha).

Nessa sexta-feira meti a chave na porta com a certeza que seria por muitos dias...dias aos quais ainda não me habituei.

Passaram 32 dias, onde me reiventei, me redescobri, me irritei, me odiei...onde já ri muito mas onde as lágrimas teimam em cair nos dias mais pesados. Passaram 32 dias e não pensei que me sentiria tão presa. Passaram 32 dias onde já fiz um pouco de tudo, onde invento mapas semanais para o miúdo, onde invento actividades físicas para não perder o foco, onde cozinho bolos e bolinhos para passar o tempo e trazer algum alento aos dias. Já arrumei gavetas perdidas, limpei janelas e postigos, fiz reciclagem de materiais e deitei fora muitas das coisas que guardava por medo de me perder na memória que deles tinha.

Passaram 32 dias... um mês a ouvir novos casos, mortes, confinamentos, isolamentos...e continuamos todos na incerteza de um futuro que neste momento está confinado às paredes da nossa casa.

E se nuns dias acho que estou rodeada pelas asas de um anjo, outros há que acho que o demónio incendeia as paredes deste meu T3 e querem saber...? Ou isto nos faz dar uma grande volta ou então de nada serviu para sermos melhores pessoas.

Quero acreditar que vai ficar tudo bem, mas sei que isso nunca será possível para todos e no mesmo pé de igualdade. Questiono-me muitas vezes se as pessoas terão realmente noção da dimensão da bolha em que estamos metidos...é que a mim parece-me que ela rebenta com tamanha facilidade que leva tudo e todos, sem escolher e sem olhar.

Passaram 32 dias... a 13 de Março entrei com o meu filho em casa e desde então tenho medo de tudo e de todos! Dizem que quando isto acabar vamos abraçar-nos ainda com mais força e com mais vontade, mas será? Será que depois de tudo isto vence o medo ou o Amor? 

Marco no calendário da minha memória este mês, estes dias inteiros e tão incompletos. Se antes estavamos prisioneiros do tempo e do relógio, neste momento, tempo é coisa que não nos falta e ainda assim continuamos a ter esta sensação de prisão. 

Que nestes cruzamentos da vida, sejamos capazes de encontrar em nós mesmos, coragem para continuar a caminhada que a vida nos destinou. 

E porque para encontrar-mos o arco-Íris precisamos passar pelas tempestades, EU ACREDITO 

(Ps. Pai, aguenta isso aí que ainda há muito caminho a percorrer)

Um pedaço de céu

Liliana Silva, 08.04.20

 

FB_IMG_1586332487638.jpg

 

Hoje escrevo como filha... Porque acho sempre que devemos descrever os sentimentos e deixar gravado aquilo que nos move sem medo de falar. 

Nunca teremos forma de aceitar a despedida de quem amamos. 

Por muito que nos preparem, não há maneira possível e eficaz para este processo. 

Digam o que disserem e doa o que doer queremos sempre mais tempo junto aos que nos querem bem e aqueles que nos deram vida. 

Hoje o mundo está parado para todos... Há 8 anos parou para mim quando perdi a pessoa mais importante da minha vida. Hoje o mundo pára para pensar e há 8 anos fui eu quem parei no tempo para saber o que ia ser de mim depois de ti. 

Ainda que falemos todos os dias, a todas as horas... Ainda que tenhamos os nossos encontros fortuitos num qualquer sonho perdido de mim... Ainda que eu saiba que o nosso amor é real, às vezes é difícil Mãe. E às vezes é mesmo bem difícil. Tu eras a minha âncora. Eras a minha balança acertada. Eras os ponteiros do relógio sempre certos. Contigo tinha a capacidade de ver os dois lados da moeda e conseguia a proeza de ouvir o meu coração, coisa rara nas pessoas por estes dias. 

Faltou-me TUDO num momento em que tinha TUDO para sermos felizes! E ainda que eu tente arranjar uma calma dentro de mim, não posso enganar-me sabendo que será sempre uma calma aparente.

O mundo hoje está parado Mãe... Tal como me senti há 8anos atrás. E tal como te deixei partir dentro da paz que dispunha, hoje peço - te essa mesma paz para enfrentar o que vem por aí. Peço - te que me guies mas sobretudo peço-te que não O deixes sentir-se sozinho nesta batalha... Sim ele...

Tens nova tarefa Mãe!! Arregaça as mangas e continua por aqui. Ocupa a tua casa, aquela para onde olho todos os dias e manda daí as boas energias que tão bem tu sabias fazer.

Nesse pedaço de céu eu acredito que farás milagres... Como continuas a fazer todos os dias quando me avisas que a vida é para ser vivida e que os obstáculos são para ultrapassar e seguir em frente. 

Não fosse um Amor assim e nada tinha neste mundo❤️

Sejam Humildes!! Sejam Irmãos!!

Liliana Silva, 30.03.20

IMG_20171001_155453733.jpg

AMAR É RESPEITAR 🙏

Tinha pensado num texto todo bonito, arranjadinho e arrumadinho, com as ideias bem definidas e as intenções bem no sítio... Mas a coisa descambou... E descambou porque à noite tudo fica mais pesado, com o passar das horas a cabeça pensa demais e o coração fica acelerado...

Estamos nisto há já 17 dias (2 saídas de 1h cada a solo para ir buscar o que necessitamos para comer)...
Estamos nisto desde a primeira confirmação, os primeiros aumentos e a primeira morte...

Por muito que ocupemos a cabeça com trabalhos mil (e quem é mãe sabe do que falo) o tema diário é sempre o mesmo!!!

Pior de tudo??? É que isto está para durar minha gente... Por muito que nos custe isto está para durar☹️

Ora primeiro tivemos Carcavelos e as suas praias😒
Depois os passadiços do Norte😢
Agora temos as férias do Algarve😏

Vai daí que eu acho que ainda há muita "gentinha" a ver tudo isto ao contrário e só não digo aqui um palavrão porque porque...

Já que não percebem que o isolamento social nos fará regressar mais rápido à normalidade, pensem então comigo...

Ao andarem por aí... A conviver, a querer aproveitar o sol, a visitar famílias estão a fazer com que eu, e mais uns bons pares de pessoas do bem tenham menos um dia para estar com pais e mães, menos um dia para ir ao parque com os nossos filhos, menos um dia para aproveitar a vida e o que de bom ela tem. Porque é disso que se trata... Enquanto eu me recolho e me privo de estar com os meus é mais um dia perdido que pode não ser recuperado e sabem porquê?!?!?

Porque a vida conta ainda com outras tantas rasteiras que achamos só sucedem aos outros, e nos esquecemos que para além do covid19, continuam a existir a merda do cancro, do AVC, do alzheimer... E de tantas outras coisas que nos podem privar a qualquer momento de aproveitar a vida junto dos nossos!!

Por isso minha gente... Se não for por amor próprio... Pensem que, ao não cumprir com o isolamento que nos pedem agora, vai demorar mais tempo... E não sabemos mesmo quanto tempo temos ao certo ou sabemos?????

Sejam humildes!! Mas sobretudo sejam irmãos!!! Sempre ouvimos dizer que a união faz a força catano... Esperam o quê?? Que o covid19 não vos bata à porta?? Pode até ser... Mas não estão imunes a tudo o resto... E o karma é lixado 🙄

Acho que vale a pena pensar nisto 🙏

Sanidade Mental em tempo de Quarentena

Liliana Silva, 27.03.20

89925260_193318405302393_3416908116195803136_n.jpg

 

No domingo passado, o marido colorido disse-me "amanhã faz aquilo que costumas fazer todos os dias...tira o pijama, põe uma maquilhagem, escova o cabelo..."

Aquilo não me caiu lá muito bem e claro que tive de lhe responder que não era ele que ia ficar fechado com o puto e a ouvir as notícias de minuto a minuto sobre o "diz que disse" de números e notícias, falsas ou verdadeiras, que nos entram ouvidos dentro e fazem a nossa cabeça e o nosso coração andar como se estivessem numa montanha russa...mas a coisa acabou por ficar por ali...

A verdade é que estou há praticamente 15 dias enfiada em casa com o miúdo e tem-me custado a tirar o pijama. Simples assim!! O "desleixo emocional", se assim o poderei chamar é lixado e tenho que dar o braço a torcer quando recordo as palavras do sr. Engenheiro cá da casa.

Isto é apenas o reflexo da nossa sanidade mental em tempos de crise, como aquele que hoje vivemos!

Estabeleci uma tabela (semana passada, que esta semana já foi a professora a estabelecer as rotinas), para manter o miúdo ocupado, para lhe manter minimamente a rotina e para que ele não se farte e não me farte a mim, mas a verdade é que hoje olhei-me ao espelho e o que salta à vista são as minhas olheiras, e pensei mais uma vez para os meus botões "aquele gajo tinha razão, ele já sabia que tinha de me alertar, porque eu lido mal com certas situações". Remeti esse pensamento, como disse para mim mesma, mas também serviu de alerta para os próximos dias.

 

horario.jpg

Vamos passar muito tempo agarrados aos telemóveis, a ler e a ouvir muita coisa pesada, falsa, impotente e avassaladora. Digam o que disserem, ninguém estava preparado para este caos, para estas restrições, para este isolamento. Vamos ter de aturar os putos, ocupá-los, brincar quando não nos apetece, limpar as lágrimas de muitas birras, pensar em ementas de almoço e jantar e fazer contas ao número mínimo de vezes que iremos ao supermercado. 24/24 horas num rodopio sem um objectivo!! E quando falo em objectivo, é um objectivo real mas próximo!! A nossa condição neste momento é a de saber esperar e estou em crer que a espera vai ser longa e penosa.

Por isso, acredito que nestas próximas semanas, quem não souber cuidar da mente, vai arranjar problemas ao corpo e eu não quero ser uma dessas pessoas!!!

Acredito muito que juntos e isolados podemos fazer a diferença para o tempo que poderemos encurtar caso todos tenham noção do real perigo deste vírus! Acredito que só estas medidas poderão por caminho certo a esta pandemia! Acredito que temos de por mais de lado as notícias e não viver em prol de números e baixas!!

Assim sendo, e pelo que já me consegui aperceber nestes poucos (mas eternos e longos dias) é que convém dar alento à nossa alma. Eu vou refugiar-me nas tarefas com o mini, mas muito mais há para fazer numa casa.

Aposto que andamos todos há anos a dizer que queremos por em dia aquela série que tanto gostamos, de ler aquele livro com um título sugestivo, arrumar aquelas gavetas que nos servem de depósito solitário para tudo o que nãoo tem arrumo próprio, escolher roupas para doar ou mesmo deitar no lixo (minimalizar), fazer uma limpeza geral ao sotão, pintar uma parede que há muito está por pintar, colocar em dia as fotos do álbum de família, quem sabe escrever a alguém com quem já não estamos há muito tempo ou até por em dia a conversa, olhos nos olhos com a nossa cara metade!

Há muita actividade que pode ser feita entre 4 paredes e que podem evitar que este isolamento social se torne acima de tudo um isolamento pessoal e interno. As nossas maiores barreiras são as paredes de chumbo que colocamos dentro de nós mesmos!

Não deixem que este vírus paute o vosso dia a dia, sem capacidade de erguer! Já dizia o marido colorido...e eu acrescento...tomemos um bom banho, façamos uma boa alimentação, deixemos as notícias para as horas em que antes as víamos, e tenhamos a capacidade de descobrir as nossas paredes e o que de melhor se encontra dentro delas.

 

Primavera 20.20

Liliana Silva, 22.03.20

90066283_900958530348463_8113148563074056192_o.jpg

 

Ironia das Ironias
Entramos por estes dias numa primavera que em nada se assemelha ao significado da mesma

As ruas estão vazias
Os parques das crianças silenciosos
Os jardins sem passeios
E até o tempo decidiu mostrar o seu lado mais cinzento

Chove e faz frio
É a Primavera a dizer que ainda não está pronta
É a Primavera a mostrar as flores ainda não vão florescer
É a Primavera a demonstrar que precisamos de nos recatar

Da Primavera de fora não podemos nós usá-la... Pelo menos para já...
Da Primavera de dentro deixo-vos um conselho

Deixem renascer os sentimentos
Deixem florir as boas causas
Deixem rebentar as boas energias

Ser Primavera é
Viver
Colorir
Cheirar

Viver a Primavera é
Renascer
Mostrar a capacidade de nos reerguermos das tempestades do Inverno
Cantar o crescimento

Sentir a Primavera é
Abrir horizontes
Inventar soluções
Fazer frente aos espinhos

Que esta seja uma #Primavera diferente dentro de cada um de nós... Às vezes as adversidades fazem-nos ser, agir e fazer diferente. Mostremos à nossa Primavera que merecemos vivê-la intensamente

Texto de Liliana Silva para 

#pequenoprincipeT
#bloguedamamagalinha
#primavera2020

Mulheres de Sol

Liliana Silva, 08.03.20

87843505_242215070148069_690681078213509120_n.jpg

 

Não me considero feminista mas defendo com unhas e dentes tudo aquilo a que temos direito...

Quero acreditar que isto das diferenças entre homem-mulher são do século passado, mas não deixo de andar de olho no que ainda nos querem tornar...

Gostaria de saber que não somos prejudicadas nem ajudadas em nada, porque estamos no mesmo patamar que eles, mas continuo a ter os cabelos em pé quando vejo que isso pode não estar a ser praticado...

Sou mulher!! Sou Filha, Sou Mãe, Sou Amiga.

Sou Sonhadora, Amante, Apaixonada, Enamorada, Animada, Alegre e tantos outros adjectivos que me acentariam tão bem neste meu percurso de vida.

Nasci Mulher e como mulher que sou acredito que isto tudo só lá vai se nos deixarmos de lamechices e percebermos que somos Grandes!!

Admiro a forma como nos batemos em todas as áreas, sempre mais e mais com o intuito de garantir que somos boas! Mas...Não precisamos disso!

Admiro a forma como todos os dias nos apontam dedos e põem em causa o nosso trabalho de mãe e nós continuamos na luta, com medo de não darmos sempre o melhor, mas levamos e encaramos de frente! Distraimo-nos de nós em prol de seres a quem damos a vida, única e exclusivamente porque é com eles que passou a estar o nosso coração! Mas...Não precisamos disso!!

Admiro a maneira tempestuosa como movemos céu e montanhas em busca de um grande amor, de uma bonita história, mesmo quando continuamos a ser vítimas, não perdemos a capacidade de acreditar no príncipe encantado!  Mas...Não precisamos disso!

Admiro a capacidade heróica de mostrar no mundo do trabalho que estamos sempre um passo à frente, tentando que a balança esteja equilibrada! Mas...Não precisamos disso!! 

O calendário, a vida e o mundo não terá nunca capacidade de ter um dia NOSSO!! Às mulheres foi dada a tarefa de fazer de cada dia, um momento único e mágico. Só nós conseguimos rir e chorar numa mesma hora, ouvir e gritar num mesmo instante, rezar e "estrabuchar" com os mesmos sentimentos! 

Hoje, e porque acredito que em mim moram restos de uma Grande Mulher, resta-me agradecer a todas as que têm cruzado o meu caminho. A todas com as quais tenho tido a oportunidade de beber um pouco de vós e deixar um pouco das minhas gotas, o meu muito obrigada. Cresço todos os dias a acreditar que juntos somos mais fortes, e é aqui que acredito que a força do nosso sexo pode fazer a diferença, sem utopias ou moralismos.

Este post é dedicado a todas sem excepção!! Às que teimam em bater de frente comigo, obrigada porque cada dia me dão mais força. Às que acompanham de longe e fazem questão de se manter, obrigada por continuarem aí a fazer notar a minha presença. Às que de perto, e todos os dias me fazem chegar palavras de coragem e sentido, obrigada por não me desampararem. À que está comigo 24/24, aquela que me conhece tão mas tão bem que faz questão de fazer notar a sua presença, obrigada por não me deixares cair.

Uma vénia a vocês...Mulheres da minha/nossa vida...porque no fundo e tal como o efeito da globalização, somos todas, um bocadinho, umas das outras!!!

Sejam felizes!!

 

Ilustração @martissesilustração

À cor dos meus dias

Liliana Silva, 27.02.20

IMG_2792.JPG

Disse que havia de tocar neste assunto ou não fosse eu de ideias fixas 

Não sou das que acredito em coincidências, mas sim em factos feitos, em histórias bonitas, em referências práticas e vividas.

Foi um Carnaval do caraças...ainda tenho o carro enfeitado, e o quarto de hóspedes ou arruamções (como lhe queiram chamar) em apóteose total com purpurinas, fitas e fatos de carnaval espalhados por cada canto, mas disso vou ainda falar no final da semana.

Escrevo este post com um sorriso danado pahhh...porque viver é isto mesmo, lembrar os que já não estão com alegria e muita saudade.

Tirem as vossas conclusões, digam o que disserem, chamem-me até maluca ou apanhada das ideias, excêntrica ou paranóica, mas estas imagens deixam-me carregada!!!!! Carregada de amor, carregada de boas energias, carregada de sentimentos verdadeiros!

Sou das que acredita que as coisas não acontecem por acaso e que há um misticismo que ninguém nunca conseguirá descobrir nas entranhas de cada um de nós.

85256415_630255374417519_5546680860960358400_n.jpg

10 anos separam estas fotografias!! 10 anos desde que estes chapéus foram comprados e que deixaram de ser usados. 10 anos fechados no armário para um dia me deixarem de sorriso no rosto!!

HPIM4659.JPG

 

Sei o quanto foi "difícil" para o avô deixar sair estes chapéus do armário, senti-o de longe...mas sei também que passados 10 anos é um orgulho ver este chapéu na cabeça do neto.

É só um chapéu?! Com certeza que sim, não sou assim tão "parolinha"...mas é um chapéu com história, com emoções e com AMOR!! 

Guarda-o bem pequeno meu, é uma herança das boas! Daquelas heranças que não te vai pesar na carteira mas que te deixa com recordações para toda a tua vida. É teu! Foi dela! Porque eu acredito que só podia ser assim 

"Eu - tanásia" da minha vida

Liliana Silva, 20.02.20

86498759_10221630898791500_2034113901708181504_n.j

Às vezes precisamos parar e deixar fluir os pensamentos antes de por a boca no trombone...
Às vezes o mais sensato é ouvir e calar (ainda que por instantes), porque ignorantes são aqueles que não sabem escutar com o coração e colocam nas palavras o ódio que lhes vai no corpo...

Muito se tem dito...muito se tem escrito...muito se tem discutido...e eu calada!! Quase a rebentar é certo...mas calada...como disse a absorver cada opinião, porque a liberdade também tem de ser isto!

Mas claro que não posso continuar calada quando a opinião pública que tenho ouvido e sentido está tão dispersa da realidade que me mete medo!

Sabem a expressão "só sabe do convento quem lá vive dentro"?! Eu vivi...Eu senti...Eu sofri...Eu "morri"

Tivemos a sorte da minha mãe ter entrada quase imediata num centro de cuidados paliativos perto de casa.
Tivemos a sorte de ter uma equipa que se entregou a 200% ao caso dela e ao nosso bem-estar.
Tivemos a sorte de amenizarem as dores físicas dela e as psicológicas nossas

Mas não se iludam...somos talvez dos poucos casos de "sucesso" que os doentes terminais têm a sorte de encontrar no seu fim de vida.

O cancro comeu parte do rosto da minha mãe!! Sim comeu!! A minha mãe faleceu já sem queixo, com metade do rosto em buracos!! O cheiro a podre era tão forte, que eu não conseguia segurar o vómito!! As dores deviam ser tantas que nem a morfina por fim já conseguia amenizar e tiveram de a sedar na totalidade para morrer dignamente!! As escaras e negras no corpo teimaram em aparecer por fim, em poucos dias e olhar aquelas manchas num corpo onde só já restava osso era de uma ingratidão atroz!! Chorava de cada vez que tinha de lhe tocar e ela já nem sequer sentia nada!! O buraco no estomago para a alimentar de nada ja lhe valia mas servia para nos mostrar como estava a partir aos poucos de tanto liquido negro que saía. O tubo na garganta para respirar melhor na luta da doença, que tinhamos de limpar de x em x tempo nas 24h de cada dia passsado assim!! Ninguém me contou!! EU VI!! EU ESTAVA LÁ!! EU FIZ-LHE MUITOS DOS CURATIVOS QUANDO AINDA OS PALIATIVOS ERAM UMA MIRAGEM!!

Desculpem chocar-vos assim! Desculpem falar-vos assim!!

A minha mãe ADORAVA VIVER!! Era uma mulher católica, praticante e que acreditava tanto em Deus e nas suas capacidades de cura que nunca perdeu a fé! Não sei ao certo, porque acho que nunca falamos sobre este assunto, qual a opinião formada que ela tinha, mas sei que ela sabia que para morrer não era preciso sofrer tanto!!

A minha mãe morreu dignamente, sim, graças a uma equipa multidisciplinar que não lhe prolongou o sofrimento e nos soube manter psicologicamente estáveis para saber quendo devíamos parar. Na última noite dela, foi-nos dito que poderiam por o oxigénio, mas que já sabíamos qual o desfecho final. Deram-nos a escolher e nós claro tomámos a decisão mais dificil mas a menos egoísta!! Ela estava serena!

Não há muitos casos como o da minha mãe!! Não venham políticos, historiadores, analistas ou comissões de ética falar em melhorar os cuidados paliativos, porque não se resolve problema nenhum!! O nosso país não tem capacidade a curto-médio prazo de resolver tamanhas lacunas no SNS e nos cuidados prestados a quem definha numa cama de casa, de hospital, de lar ou perdido em qualquer canto de uma barraca!!

A liberdade humana está em causa quando nos sacrificam a este ponto! A minha liberdade está em causa quando tenho 200 senhores a decidir a minha vida quando não sabem o que é o cheiro a podre, os gritos de dor, as lágrimas de sofrimento pelas escaras e feridas num corpo que só faz peso!

Não é digno pedir que se prolongue a vida humana à conta de milagres!
Não é digno pedir que se prolongue a vida humana quando na verdade o único desejo é morrer ciente de que não sou um estorvo para os outros e que posso decidir abertamente sobre o MEU CORPO!!

Falar de hospitais, de internamentos, de unidades de cuidados continuados e paliativos sem conhecimento de causa própria é desvalorizar o ser humano na sua situação mais frágil!!

Quero poder morrer dignamente! Sem que para isso tenha de prolongar mais e mais um caminho de "nada"! Porque é isto que muitos dos corpos se tornam..."nadas", "vazios", "sem alma"!!

A eutanásia é de facto um tema que precisa de ser falado e discutido, mas com a certeza de que não estamos a cometer nenhum crime! Deus deu a vida e só ele a pode tirar?! Mas que "vida" pode um corpo vazio suportar? Que "vida" pode haver na dor, nas lágrimas, no sofrimento?

Parte de mim morreu naquele dia em que a perdi! Ninguém me pediu que decidisse nada! A minha mãe nunca foi um fardo para nós e tivemos uma vida feliz onde aproveitamos os momentos bons e menos bons para continuar na luta, mas sei que não era assim que gostaria de lembrar a minha mãe!! E portanto sou a favor da Eutanásia!!

Sou A FAVOR da liberdade de escolha! Sou A FAVOR de morrer quando eu achar que a minha vida não vai acrescentar nada à minha caminhada neste mundo!! A minha mãe ensinou-me a não ser egoísta e deixar partir condignamente é um acto de AMOR que só os mais fortes conseguirão um dia entender 

Como se gere a notícia de uma gravidez?!

Liliana Silva, 26.01.20

33b0c4c2c67587a165327b9dd8176bb5.jpg

 

Carta ao meu filho quando soube da sua chegada

Passaram 7 anos desde que aquela "caneta" apresentou um tracinho extra no visor...

Passaram 7 anos desde que ganhei coragem para comprovar os enjoos, a sonolência excessiva, a fome em demasia, o cansaço por demais...

Passaram 7 anos desde que num wc "público" decidi tirar "aquilo" a limpo...

Passaram 7 anos desde que um turbilhão de emoções passou a fazer parte da minha cabeça e do meu coração...

Há 7 anos tudo aquilo me pareceu descabido, tudo aquilo era surreal, tudo aquilo foi posto em causa. Naquele dia pairou a incerteza e a insegurança, os pensamentos e as sensações meio perdidas. Naquele dia morri um pouco por dentro...sim morri...e morri porque sabia que ia ter de lidar com emoções contraditórias em todos os outros 9 meses do teu crescimento.

Há 7 anos não foi dia de festa...aiii Tiago, não tenho palavras que expressem tudo o que me ia na cabeça naquele dia e nos dias seguintes de tantas lágrimas...

Há 7 anos não dei notícia a ninguém, não corri para o telefone para contar, não saí à rua para agradecer, não cantei de alegria com a notícia da tua existência!

Não me recrimines. Tento a cada dia que passa redimir-me de todos os pensamentos que tive e de todas as sensações boas que não tive oportunidade de viver.

Há 7 anos tu estavas a crescer dentro de mim e a minha mãe morria aos poucos ao meu lado! Não foi tarefa fácil meu pequeno guerreiro. Não foi de todo fácil...Ainda hoje não o é! Mas hoje tenho-te ao meu lado, hoje apoio-me em ti, hoje sorrio contigo e hoje dou graças por ter tido a coragem de te carregar durante aquele tempo tão sofrido!

Tu és a prova viva de que existem milagres e eu sou prova provada de que posso duvidar de muito mas que tenho sempre algo maior em que acreditar.

Disseram-me muitas vezes que Deus me fechou uma porta, mas me abriu uma janela...não percebo muito desta frase. Revoltei-me até, quando a ouvia...

Hoje limito-me a aceitar os factos e a saber que quando abro a porta tenho-te à minha vista e quando me ponho à janela tenho telhados de estrelas cadentes a iluminar o meu caminho.

Obrigada miúdo giro...porque se hoje aqui estou...a ti o devo!!

Tenho medo...medo de não estar mais...

Liliana Silva, 22.01.20

6bd7ac66c15bc6041eebd96565c0774d.jpg

 

Deito-me ao teu lado

Adormecemos de mãos dadas 

De repente cai uma lágrima...

Olho para as minhas mãos e penso quantas fichas terei ainda para gastar ao teu lado?

Quantas voltas nos serão permitidas ainda?

Qual o preço a pagar para poder subir contigo neste carrossel chamado de vida?

O pano volta a fechar-se...o carrossel voltou a parar... sinto-me novamente em suspenso e volta o medo!!

O medo que achava estar perdido depois de perder o meu bem mais precioso, voltei a reeencontrá-lo no dia que te vi pela primeira vez!

Aquele egoísmo que sempre me ensinaram a por de lado está agora bem colado a mim!! Tenho medo de não te poder ver crescer! Tenho medo de não te poder acompanhar!! Tenho medo que a vida me pregue uma nova rasteira e me tire repentinamente do teu caminho. Desculpa mas tenho muito medo!! Dou por mim e pedir que nada me aconteça, que nada de mal me aconteça! Dou por mim a pedir que não tenham de te arranjar uma substituta, uma que faça o meu papel, uma que minimize os danos da minha falta! 

Há dias complicados...por estes dias tem sido assim um misto de emoções. Quanto mais tempo passo ao teu lado, mais medo tenho que o destino quebre este cordão mágico que nos une. 

Sei que nada disto te aflige...São conversas que não são do "teu rosário" e apenas da minha cabeça e deste coração de mãe...sei que vivemos intensamente cada instante e que mesmo as nossas zangas servem para nos unir ainda mais...mas tenho medo!!

Quando somos mães ganhamos apertos dentro e fora do coração!

Tenho medo de não estar cá nas tuas etapas importantes, tenho medo que nos roubem datas especiais, tenho medo que nos separem aqueles abraços especiais.

Não penso nisto sempre. Não pauto a nossa caminhada com alicerces de medos e receios...mas hoje tenho medo,  e tenho tido este medo que deve ficar registado. Apenas e só para que saibas que apesar do medo que sinto não deixo de fazer absolutamente nada!! Vivo cada dia o mais e o melhor que posso. Não tenciono abrandar o ritmo da felicidade e das novas oportunidades. Quero que saibas sempre que apesar de termos sentimentos menos bons, a vida corre...e chegar ao final do dia com o dever de missão cumprida é a melhor sensação que podemos transmitir a quem amamos. 

E eu amo-te tanto meu pequeno Príncipe T.