Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Ele, o microfone e a mamã

09
Abr18

A Covilhã é notícia...pelos piores motivos

Liliana Silva

14819980531200.jpg

 

Carreguei-o ao colo já ele dormia o seu soninho de menino feliz.

Aconchei-lhe os lençóis e tapei o seu corpo pequenino.

Dei-lhe muitos beijinhos e sussurrei ao seu ouvido que o amava muito ao mesmo tempo que pedia ao Ser Superior que o protegesse de tragédias como as que ontem fomos confrontados.

Lá por casa fomos falando disto quase toda a semana. A tão afamada semana de férias no sul de Espanha para finalistas do secundário, como devem compreender, é um tema que me deixa os nervos à flor da pele...eheheh...sim eu sei, ainda só tem cinco anos, mas eu tenho o grande defeito de sofrer por antecipação e dou comigo a imaginar-me na pele de tantos pais que soltam os seus pintainhos para um mundo sem cerca, como é o caso de uma viagem de finalistas sem qualquer supervisão.

Pior ainda, porque não passei por essa experiência e o desconhecido deixa sempre medo a dobrar. 

Polémicas à parte, de todos os excessos e parvoíces que são feitas nesses dias, e que eu lá no fundo até consigo "aceitar", mas nunca compreender, ontem estas férias terminaram da pior forma possivel para um grupo de jovens que regressava a casa. Ontem a viagem foi interrompida por um brutal acidente, e aqueles que vinham para o seu lar, para os braços dos seus pais e familiares foram "sacudidos" para a experiência da morte. 

Ontem a viagem que deveria terminar em resumos de dias felizes vai ficar maracada pelos últimos 100km até casa. 

Consideramos sempre tudo como garantido, não aceitamos de bom grado o sofrimento e vamos contra o tema da morte. Infelizmente é o que temos de mais certo nesta vida. O injusto é uma mãe ver partir o seu filho antes de si...o injusto é um pai ter de se despedir do seu filho assim abruptamente...que nome damos aos pais que perdem um filho/a? Não há designação nem aceitação possível. 

Não me consigo colocar no papel destes pais, não consigo sentir-lhes o sofrimento, a revolta, a dor...não consigo...e arrepia-me esta incapacidade. 

Aos pais do João Nuno desejo que encontrem a paz possível neste momento de tamanha revolta. Aos pais do João Nuno desejo que consigam fazer o luto necessário para continuarem a lutar nesta vida injusta e sem sentido.

A mim mesma, mãe do Tiago, desejo que em cada dia da nossa vida juntos consiga aproveitar cada instante, decorar cada traço teu, festejar contigo as mais pequenas vitórias. Porque mais não sai, porque mais não pode ser dito, para além de que quando uma mãe perde um filho, todas as outras mães ficam também um pouco mais pobres.

Descansa em paz querido João. 

#somostodoscovilha  

* Foto by Marco Gil em http://www.marcogil.pt/

 

7 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D