Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Desliguem as TV's! Regressam os jogos de Tabuleiro...

11.03.19 | Liliana Silva

 

PhotoGrid_1552310191792.jpg

 

Aiiiii...é que nem sei o que sou capaz de dizer depois da noite de ontem. Não sei se me sinta Irritada porque dei por mim a assistir aos programas da SIC e da TVI... Envergonhada por o ter feito...Revoltada por ainda existirem conteúdos destes nas nossas grelhas de programação...Desanimada por saber que haverá muito boa gente a dar crédito a estes conteúdos...

Ora vamos por partes...

Resisti e falei mal assim que estes programas( Quem quer Namorar com o Agricultor? - SIC / Quem quer casar com o meu filho? - TVI) começaram a ser divulgados... na mesma medida em que não consigo achar piada ao "First Dates" ou ao "Carro do Amor", achei que estes novos programas seriam apenas uma tentativa de saber se os formatos "colavam" ao nosso quotidiano e consequentemente ao público português...mas a verdade é que eu vi. Ontem eu estava diante da TV e a curiosidade aguçou o bichinho de confirmar se isto iria mesmo para o ar...

Ora pois bem, parece que a "coisa" colou e numa mesma noite a televisão portuguesa foi ao fundo, literalmente!!

Tentando perceber os conteúdos de cada programa assisti a metade-metade e só conseguia dar por mim a achar aquilo tudo surreal! Quando numa mesma semana decretamos o dia de Luto pelas vítimas de Violência Doméstica e o Dia Internacional da Mulher, estes formatos são tudo, menos aquilo que não queremos para nós mulheres mas sobretudo para nós sociedade em geral. Não sou púdica, não me escondo atrás do "não vejo isso", não quero incentivar ou deixar de incentivar a visualização deste tipo de programas, mas realmente isto não vale o mínimo das nossas atenções. Certa de que esta gente que participa está lá por vontade própria (movidas muitas delas a promessas e dinheiro fácil) não posso deixar de avaliar que o ser humano está perdido, completamente perdido.

Perdoem-me os defensores deste tipo de programa. Não se sintam mal tratados por esta minha análise, que é tudo mas sobretudo pessoal. Vi as estreias, fui saltitando de canal em canal, mas não contem comigo para incrementar audiências de uma coisa que acho ridícula. A idade nisto das "piadas televisivas" também ajuda muito, e considero que estou a crescer. Porque se de vez em quando até posso consumir certos formatos considerados "lixo", hoje sou muito mais selectiva no que tenho diante dos olhos. E quando tenho de chegar ao ponto de tentar explicar a um puto de 6 anos o que são em concreto estes formatos, aí tirem o cavalinho da chuva porque para além de não haver explicação possível, só me apetecia apelidar isto com uns quantos adjectivos menos próprios à idade dele 

Acho que chegou a hora de tirar o pó aos jogos de tabuleiro, dar asas à imaginação e passar os serões de Domingo à noite em amena cavaqueira entre família. Com certeza que vamos ganhar experiências 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.