Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Ele, o microfone e a mamã

"Eu - tanásia" da minha vida

Liliana Silva, 20.02.20

86498759_10221630898791500_2034113901708181504_n.j

Às vezes precisamos parar e deixar fluir os pensamentos antes de por a boca no trombone...
Às vezes o mais sensato é ouvir e calar (ainda que por instantes), porque ignorantes são aqueles que não sabem escutar com o coração e colocam nas palavras o ódio que lhes vai no corpo...

Muito se tem dito...muito se tem escrito...muito se tem discutido...e eu calada!! Quase a rebentar é certo...mas calada...como disse a absorver cada opinião, porque a liberdade também tem de ser isto!

Mas claro que não posso continuar calada quando a opinião pública que tenho ouvido e sentido está tão dispersa da realidade que me mete medo!

Sabem a expressão "só sabe do convento quem lá vive dentro"?! Eu vivi...Eu senti...Eu sofri...Eu "morri"

Tivemos a sorte da minha mãe ter entrada quase imediata num centro de cuidados paliativos perto de casa.
Tivemos a sorte de ter uma equipa que se entregou a 200% ao caso dela e ao nosso bem-estar.
Tivemos a sorte de amenizarem as dores físicas dela e as psicológicas nossas

Mas não se iludam...somos talvez dos poucos casos de "sucesso" que os doentes terminais têm a sorte de encontrar no seu fim de vida.

O cancro comeu parte do rosto da minha mãe!! Sim comeu!! A minha mãe faleceu já sem queixo, com metade do rosto em buracos!! O cheiro a podre era tão forte, que eu não conseguia segurar o vómito!! As dores deviam ser tantas que nem a morfina por fim já conseguia amenizar e tiveram de a sedar na totalidade para morrer dignamente!! As escaras e negras no corpo teimaram em aparecer por fim, em poucos dias e olhar aquelas manchas num corpo onde só já restava osso era de uma ingratidão atroz!! Chorava de cada vez que tinha de lhe tocar e ela já nem sequer sentia nada!! O buraco no estomago para a alimentar de nada ja lhe valia mas servia para nos mostrar como estava a partir aos poucos de tanto liquido negro que saía. O tubo na garganta para respirar melhor na luta da doença, que tinhamos de limpar de x em x tempo nas 24h de cada dia passsado assim!! Ninguém me contou!! EU VI!! EU ESTAVA LÁ!! EU FIZ-LHE MUITOS DOS CURATIVOS QUANDO AINDA OS PALIATIVOS ERAM UMA MIRAGEM!!

Desculpem chocar-vos assim! Desculpem falar-vos assim!!

A minha mãe ADORAVA VIVER!! Era uma mulher católica, praticante e que acreditava tanto em Deus e nas suas capacidades de cura que nunca perdeu a fé! Não sei ao certo, porque acho que nunca falamos sobre este assunto, qual a opinião formada que ela tinha, mas sei que ela sabia que para morrer não era preciso sofrer tanto!!

A minha mãe morreu dignamente, sim, graças a uma equipa multidisciplinar que não lhe prolongou o sofrimento e nos soube manter psicologicamente estáveis para saber quendo devíamos parar. Na última noite dela, foi-nos dito que poderiam por o oxigénio, mas que já sabíamos qual o desfecho final. Deram-nos a escolher e nós claro tomámos a decisão mais dificil mas a menos egoísta!! Ela estava serena!

Não há muitos casos como o da minha mãe!! Não venham políticos, historiadores, analistas ou comissões de ética falar em melhorar os cuidados paliativos, porque não se resolve problema nenhum!! O nosso país não tem capacidade a curto-médio prazo de resolver tamanhas lacunas no SNS e nos cuidados prestados a quem definha numa cama de casa, de hospital, de lar ou perdido em qualquer canto de uma barraca!!

A liberdade humana está em causa quando nos sacrificam a este ponto! A minha liberdade está em causa quando tenho 200 senhores a decidir a minha vida quando não sabem o que é o cheiro a podre, os gritos de dor, as lágrimas de sofrimento pelas escaras e feridas num corpo que só faz peso!

Não é digno pedir que se prolongue a vida humana à conta de milagres!
Não é digno pedir que se prolongue a vida humana quando na verdade o único desejo é morrer ciente de que não sou um estorvo para os outros e que posso decidir abertamente sobre o MEU CORPO!!

Falar de hospitais, de internamentos, de unidades de cuidados continuados e paliativos sem conhecimento de causa própria é desvalorizar o ser humano na sua situação mais frágil!!

Quero poder morrer dignamente! Sem que para isso tenha de prolongar mais e mais um caminho de "nada"! Porque é isto que muitos dos corpos se tornam..."nadas", "vazios", "sem alma"!!

A eutanásia é de facto um tema que precisa de ser falado e discutido, mas com a certeza de que não estamos a cometer nenhum crime! Deus deu a vida e só ele a pode tirar?! Mas que "vida" pode um corpo vazio suportar? Que "vida" pode haver na dor, nas lágrimas, no sofrimento?

Parte de mim morreu naquele dia em que a perdi! Ninguém me pediu que decidisse nada! A minha mãe nunca foi um fardo para nós e tivemos uma vida feliz onde aproveitamos os momentos bons e menos bons para continuar na luta, mas sei que não era assim que gostaria de lembrar a minha mãe!! E portanto sou a favor da Eutanásia!!

Sou A FAVOR da liberdade de escolha! Sou A FAVOR de morrer quando eu achar que a minha vida não vai acrescentar nada à minha caminhada neste mundo!! A minha mãe ensinou-me a não ser egoísta e deixar partir condignamente é um acto de AMOR que só os mais fortes conseguirão um dia entender 

5 comentários

Comentar post