Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

FORA OS PENSAMENTOS NEGATIVOS

27.06.17 | Liliana Silva

 

5.jpg

 

 

Enquanto pessoa sempre fui e sou algo revoltada com a vida. Creio que desde que me conheço sempre fui muito negativa, muito pessimista, muito deita abaixo de mim própria e de tudo o que me poderia rodear. Sempre achei que o azar bate sempre às mesmas portas e em tempos achava mesmo que havia algo superior que me ultrapassava. A verdade é que esta última parte se mantém e faz parte integrante do meu dia-a-dia, mas aprendi a lidar com tudo o melhor que sei e dedico muita da minha força a interior a combater estes pensamentos.

E isso alterou-se com a maternidade. Alterou-se desde que tenho debaixo das minhas asas um ser que depende em tudo de mim, ou quase tudo. Alterou-se desde que olho para ele e vejo que os medos têm de ser guardados, as lágrimas têm de ser escondidas, os receios não devem ser espelho de todas as vezes que olha para mim. E alterou-se porque aprendi a valorizar as coisas boas, os sorrisos sinceros, os momentos únicos, as vivências sem igual. Alterou-se porque o que é mau não pode estar sempre atrás da porta.

Como tal fico fula, fora de mim, desvairada mesmo quando tentam atrair o negativo, quando chamam o medo para perto de nós, quando algo fora do normal pode tornar-se num grande 31.

Arre é demais…e lamento, ainda não aprendi a viver com isso. Se eu que sou eu afasto os pensamentos ruins e as coisas menos boas, não consigo tolerar que me estejam sempre a “chamar a atenção” para as coisas que podem correr mal.

Olha eu a entrar em fase de ebulição:

  1. Tira dali o miúdo que ele vai cair e ainda parte a cabeça
  2. É melhor tirá-lo do sol, vai-lhe fazer mal à cabeça e fica com febre
  3. Está frio! Não devia estar na piscina, sai daí porque amanhã estás doente
  4. Andas descalço?! Tem os pés tão frios, amanhã estás constipado
  5. O quê? Só come isso?! Não admira que tenha fome daqui a 5minutos

Caros amigos e amigas, toda a gente é livre de dar opiniões, de fazer comentários, de expor ideias e ideais, mas por favor, sempre é demais. As coisas não têm necessariamente de correr sempre mal. Para mal já bastam as contrariedades da vida e eu já aprendi que o que tiver de ser será, por muito cuidado que possamos ter com eles, por tudo o que possamos dar ou evitar, as coisas acontecem. E não haverá nunca maior peso na consciência do que a consciência pesada de uma mãe que ama os seus filhos. O que nos vale a nós adultos é que eles enquanto crianças ainda não sentem essas pressões em excesso…e vivem, e brincam, e sujam-se, e rebolam na relva, e andam descalços…e são apenas e só crianças ;)