Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Natal? Mas como assim?

06.11.17 | Liliana Silva

20161202_185527.jpg

 

 

Perdoem-me os vendedores, os lojistas e até os amantes desta época natalícia, mas há mesmo necessidade disto a 06 de Novembro? Já começam os folhetos natalícios, os anúncios sem precedentes e até algumas das montras de um qualquer shopping apresentam já decoração de natal. Numa passagem rápida por um tópico de facebook apercebi-me que inclusive há já muito boa gente a fazer a árvore de natal e a comprar os primeiros presentes de natal. É tudo muito bonito, eu também já fui amante desta "natureza" branca, verde e vermelha e confesso até que lhe ganhei novo gosto com o entusiasmo de um miúdo de 5 anos que vibra cada ano mais com os presentes, com a chegada do pai natal e com a magia típica da época.

Agora a minha "bomba interior" rebentou ontem quando em pleno anúncio de rádio me apercebo que numa superficie comercial da zona de Almada o Pai Natal vai estar presente já este fim-de-semana. 11 de Novembro?! Mas como assim? Não vos parece cedo demais? Serei só eu a achar exagerada esta carga natalícia quando falta mais de um mês para a desejada época do ano em que tudo brilha?

Oiço o Eng.lá de casa dizer "negócios minha querida, é tudo uma questão de negócios..." e eu na minha revolta controlada nem sequer lhe respondo porque sei que tem razão naquilo que diz, ainda que eu entenda a justificação, não a percebo. E não percebo porque na minha opinião estamos a tirar a verdadeira magia de um mês que qualquer dia passa a ser logo comercializado no fim das férias de verão em pleno fim de Agosto...ohhh por amor da Santa...na minha cabeça há limites e na minha cabeça ainda não é tempo de Natal.

E incomoda-me que isto se esteja a tornar mais uma tradição consumista e sem valores. E incomoda-me que se ande já a questionar os miúdos sobre o que querem para o natal quando ainda nem o S. Martinho deu ares da sua graça. E incomoda-me os anúncios com as músicas do Jing Bell a esta altura do campeonato quando 

A culpa é talvez do tempo, sim porque temos sempre de atribuir culpas a alguma coisa a alguém, e o tempo esteve até estes dias solarengo e em temperaturas que não são propícias à época em que estamos. Ohhh vá lá, acham mesmo que já devemos entrar nesta lufa lufa de correrias exageradas? Acham mesmo que o Pai Natal terá o mesmo brilho quando ainda faltam cerca de 50 dias para uma época em que devemos celebrar a família, a união e o amor? Acham mesmo que o Pai Natal a esta altura do campeonato se vai lembrar do pedido dos miúdos quando estiver a acomodar a carga? (vá eu sei,brincadeirinha) mas a verdade é que aquele anúncio publicitário me incomodou. Qualquer dia, os dias especiais deixam de existir, e se sim eu concordo que o natal é quando um homem quiser então que apareçam pais natal a surfar nas ondas da praia ou se substitua o coelho da páscoa...(epahhh estou mesmo do contra...sorry).

Senhores e senhoras consumistas ou não, acreditem que até gosto muito desta época, já delirei, agora sou mãe e deliro com os olhos brilhantes da minha cria, mas continuo a ter todo um espírito natalício em mim ( a provar isso estarão daqui a dias - muitos dias ainda - a nossa decoração natalícia em casa) mas desculpem-me este desabafo...Natal ainda não, Pai Natal muito menos. Quanto muito vão fazendo as primeiras compras e conseguem poupar de certeza, porque daqui a uns dias...upa upa, o natal inflacciona tudo. O resto, deixem mesmo para o mês de Dezembro, o mês por excelência da magia acontecer nos nossos corações.  

   

2 comentários

Comentar post