Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Ele, o microfone e a mamã

25
Jul17

O bicho papão da alimentação

Liliana Silva

Cá por casa não nos regemos por um determinado e especifico tipo de alimentação. Não somos vegetarianos, vegans ou paleo. Não proibimos nada, não deixamos de comer porque faz mal ou porque tem muito açúcar, ou porque tem muito chocolate…. Cá em casa limitamo-nos a ter a quantidade certa em moldes certos para evitar ter de dizer que não.

Com muito pena minha (ou então não) o pequeno príncipe T não é privado de nada, experimenta tudo o que quer (ele não gosta de experimentar coisas novas) e em alguns dias da semana, mais aos fins de semana determinamos o “dia da exceção” e acabamos por permitir em quantidades aceitáveis aquilo que achamos que não deve comer com tanta frequência, como é o caso dos crepes de chocolate, dos bolos, dos sumos…

Há que ser coerente e não impor regras demasiado exigentes a crianças que estão na idade de descobrir os sabores. Certa de que também é nestas idades que se começa a exercer uma cultura de alimentação saudável, tentamos que o bom senso impere e que acima de tudo as decisões sejam tomadas com moderação.

Não quero com este texto criticar nada nem ninguém, porque tal como já referi cada pai e mãe só faz o melhor em prol dos seus filhotes. Quero apenas deixar a opinião que as escolhas devem ser feitas sem fundamentalismos e sem exageros.

Cá em casa o pai tem um tempero mais apurado, e a mamã prefere deixar as coisas com pouco sal, o T beberia sumo a todas as refeições e comeria crepes como sobremesa todos os dias. Convenhamos todos que nem sempre nem nunca. E como tal as exceções servem para manter o equilíbrio corporal e mental J.

Não somos adeptos dos cereais da moda como a quinoa ou as sementes de sésamo, creio que é uma questão de hábito, e se assim o quisermos também podemos mudar para melhor alguns aspetos que só nos ajudarão a viver melhor e mais saudáveis.  

Cá em casa, o pequeno príncipe T foi habituado a comer sempre a fruta no início das refeições, a comer sopa (ainda que seja passada, mas assim consigo introduzir todos os legumes que me vem a mão) todos os dias nas principais refeições (exceção em dias de festa ou fim de semana fora de casa) e a ter no prato principal carne, peixe, ovos que lhe permitam suprir as necessidades básicas e essenciais. Os legumes?! As saladas?! Pois… tema tabu para ele que ainda não conseguimos resolver, mas tento que a sopa possa conter sempre uma grande variedade destes alimentos. Se me dá dor de cabeça esta situação?! Sim ao início fazia-me confusão porque achava que para ele era indispensável para ele crescer saudável, hoje em dia e com o passar do tempo percebo que faço o melhor e tento que ele coma melhor a cada dia que passa, sem stresses e sobretudo sem birras. Porque comer deve ser um ato natural e não forçado.

20170616_170002.jpg

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D