Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

O regresso

13.09.17 | Liliana Silva

20170913_090056.jpg

Chegou o dia Chegaram as rotinas Chegaram os amigos Chegaram as caras novas Chegaram as regras Chegou a diversão Chegou a confusão Acabaram as férias e tudo regressa à normalidade aparente dos dias rotineiros. O dia foi de entusiasmo, não houve grandes mudanças,não houve grandes adaptações,não houve grandes dores de cabeça. Deste lado o coração estava ansioso mas tranquilo, estava extasiado mas não preocupado. Vai daí o dia ter corrido como o esperado. Muita conversa, muita brincadeira e muitos sorrisos. Vinha no limite das suas forças...os olhos teimavam em fechar,o corpo teimava em cair para o lado. E na hora de deitar surge uma confissão que me fez parar o relógio e conversar com o pequeno Príncipe T. Limitou-se a dizer que estava triste. Por momentos pensei que fosse de o estar a deitar mais cedo mas com o desenrolar da conversa percebi que houve uma parte do dia que não correu como o esperado. Queixou-se que os meninos novos não emprestam as coisas,não partilham os brinquedos,não deixam tocar nos objectos alheios. Ora pois...vamos lá tentar explicar ao pirralhito...com calma e sem ferir suscetibilidades comecei por lhe perguntar se eram meninos mais pequenos? A resposta afirmativa fez-me voltar a frisar que eram meninos que ainda não conhecem as regras e rotinas da escolinha. Disse-me que não largavam a bicicleta, que não deixavam brincar com o carro ou no escorrega. Dei-lhe uma sugestão,a qual ele se sentiu importante e vai por em prática. Sugeri-lhe que pedisse à professora para ir explicando aos meninos novos a palavra partilha. Notei-lhe um rosto mais sereno e sei que se vai empenhar nesta proposta. Por último pedi-lhe compreensão...palavra difícil para um mini de 5...sei que nem sempre a poderá ter...mas disse-lhe que é importante que com os seus 5 anos ele ajude os meninos de 3 e 4 a saberem partilhar e a serem menos "egoístas". Com esta "responsabilidade" sei que as coisas tomam uma proporção mais amena e ele vai aprender a ensinar. Já dormeo seu soninho de menino feliz...e eu sinto que a lição do primeiro dia ficou registada com sucesso.

1 comentário

Comentar post