Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Os "trágicos" domingos à noite...

16.04.18 | Liliana Silva

 

IMG_20170912_134032123.jpg

 

Respirar fundo três vezes não chega...

Apontar outras direcções também não...

Contrariar só piora...

Mas tentar levar a bem também não resulta...

Assim são os Domingos à noite...uma autêntica tragédia grega...um verdadeiro teste à minha paciência e à capacidade de dar a volta ao contrário para chegar à mesma meta...deitá-lo 

A hora de dormir é por si só já sinal de problemas...o domingo à noite adensa esta problemática e faz-me ficar de cabelos em pé.  Sorte que o fim de semana foi tranquilo e que ontem consegui levar a coisa na desportiva...plo menos fiquei contente com a minha prestação (modéstia à parte...)

Ora o mini da casa, mais que meio metro de gente dormiu com o avô este fim de semana e hoje esteve todo o dia com ele...resultado?!? Sim sim, vocês já sabem...muitos mimos e vontades feitas nunca têm um resultado 100% benéfico quando a criatura é entregue aos pais...

Na hora em que o avô teve de ir embora rebentou a 3° guerra mundial cá por casa...depois de se aperceber que tinha terminado por ali o seu reinado, o pequeno Príncipe T mostrou o seu lado mais "maquiavélico" e desatou num choro tal que nem com o pote da calma a coisa foi ao lugar. Optei por não lhe dar a importância que ele estava a querer daquele não assunto, optei também por não desvalorizar e encontrar um meio termo foi a minha muleta de salvação. Lavou os dentes a chorar, foi despedir-se do pai a chorar, deitou-se a chorar e só não adormeceu a chorar porque eu evito que isso aconteça. A cartada final foi dizer-lhe que aquele assunto estava por ali encerrado e que no dia seguinte íriamos conversar tranquilamente e sem choros à mistura. Deitei-me ao lado dele, pedi-lhe que fosse respirando fundo e dei corda ao boneco com a melodia para ele adormecer. Não foi preciso mais...ele estava exausto. As brincadeiras foram mais que muitas e os excessos do fim de semana também. Juntar tudo isto e tentar resolver as coisas com gritos e nervos à mistura só ia piorar a situação e dar cabo do meu humor. É nestas alturas que percebo que cresço com ele à medida que ele também cresce connosco. 

Hoje já tivemos a dita conversa pela manhã enquanto o preparava para a escolinha. Da conversa saiu uma proposta que vou por em prática e tentar perceber se ele conseguiu assimilar, se não tudo, pelo menos a maioria dos meus pedidos e dicas.

Ai avô avô...enquanto ele reina nós ficamos reféns desta pequena criatura encantadora