Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Ele, o microfone e a mamã

22
Set17

Pela paz...no dia e fora dele

Liliana Silva

1.jpg

 

Na escolinha do pequeno príncipe T ontem falou-se da paz. A fotografia ilustra aquilo que de mais genuíno existe...a pomba branca sinónimo de paz, de tranquilidade e de acalmia. Mas mais do que o desenho e o simbolismo do dia fica aquilo que uma criança de 5 anos conseguiu aprender e identificar deste tema que tanto nos diz e que tanto tem faltado no mundo actual.

O Tiago "explicou-me" que ontem ouviu 2 "nomes" novos e soube distinguir um do outro. Falou-me da paz como um aspecto bom e da guerra como uma coisa má. Disse-me com as suas palavras simples que "não devemos lutar. Não devemos bater nem magoar. Não devemos fazer coisas más porque deixamos as outras pessoas tristes. E não devemos fazer coisas más porque estamos a fazer a guerra e isso é muito triste. Ser mau não é fazer a paz." A mensagem passou. A ideia ficou. As palavras alojaram-se naquele coração puro. E por este lado reflecti aquela descrição. Busquei a essência destas simples palavras e percebi que se tivessemos mais crianças a saber a distinção destes dois conceitos teríamos com certeza um mundo mais justo e pacífico. Percebi que bastam pequenos gestos para que uma criança possa de facto entender desde muito cedo que ao existirem dois conceitos alguma coisa vai mal no reino dos humanos, porque o mais certo nem sempre é o mais praticado.

E percebi a sorte que tenho por ter a minha criança rodeada de pessoas boas, de pessoas que plantam os valores da justiça, da equidade, da paz. Percebi que, embora a bolha esteja, a cada dia que passa,maior, ainda estamos num cantinho sagrado que nos permite assistir de longe a estas desgraças e a não vivenciar de perto estas maldades. 

Se o significado mais prático da paz é a ausência de guerra, desejo apenas que o meu filho aprenda que o primeiro conceito pode tornar a nossa vida muito melhor e sobretudo menos triste. Para que todos os dias se tornem de paz, de tranquilidade e de amor. Porque podemos nem sempre concordar uns com os outros, podemos ter ideologias diferentes uns dos outros, podemos até exprimir-nos livremente dando opiniões contraditórias mas não podemos ameaçar, destruir e dizimar tudo à nossa volta porque não somos capazes de perceber que o mundo só será igual para todos quando soubermos que todos nascemos e morremos e que nesta nossa passagem devemos manter o ser humano seguro e de bem com os outros. Só assim isto fará mais sentido.

Obrigada à professora Bita e a todas as envolvidas, por ensinarem o essencial, neste mundo que se preocupa apenas com o mais importante.

 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D