Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Quando a sorte bate à porta

13.07.17 | Liliana Silva

IMG_20170712_090324851.jpg

 

Dizem que somos abençoados quando a vida nos corre bem, quando temos saúde, quando temos trabalho, quando o dinheiro abunda ou mesmo até quando conseguimos alcançar objectivos. Concordo em parte mas acrescento sempre mais, porque por aqui a mamã sabe que mais do ser abençoados por bens materiais somos sem dúvida abençoados quando temos amor, carinho, amizade, cumplicidade, estima e afeição.

Somos abençoados quando temos pais que nos abrem os braços e nos protegem com as suas poderosas asas, somos abençoados quando temos amigos que nos fazem gargalhar e cometer loucuras, somos abençoados quando temos um companheiro/a que nos mostra a grandeza da paixão, somos abençoados quando temos filhos saudáveis e felizes.

Hoje, e tal como há um ano atrás em que um turbilhão de emoções fez separar o pequeno príncipe T da sua educadora e auxiliar, sinto-me abençoada e sinto que o meu filho também o é. E sinto que somos abençoados porque temos o privilégio de continuar a ser acarinhados por gente que até então nos era nova mas que tudo fizeram para entrar nos nossos corações. Em mais uma etapa concluída e mais um ano lectivo que chegou ao fim o balanço é de coração cheio e sorriso nos lábios.

Ontem foi dia de reunião na escolinha do T. Ontem foi dia de saber como correu este 3º período e como se tinha portado este nosso pirralhito. Mais do que as palavras bonitas e os objectivos atingidos, o que trouxe no coração foi a maneira como a professora Bita falou dele e da sua alegria, foi a maneira como sei que se divertiram tanto nas actividades que fizeram, nos passeios que deram, nas brincadeiras que tiveram. Mais do que os ensinamentos curriculares (que devem ir acontecendo gradualmente) ficam as aprendizagens do saber estar, saber ser, saber respeitar. Mais do que tudo, sei que ali ele é feliz, sei que ali ele é respeitado, sei que ali para além da professora tem uma amiga brincalhona e sorridente, divertida e animada que o faz ser criança na sua plenitude, porque daquele lado a primeira impressão que passou e para esta mamã a mais correcta é que uma criança precisa de brincar. Brincar na verdadeira essência da palavra. E brincar engloba amigos, engloba sujar, engloba conhecer coisas novas, engloba partilhar, engloba até as birras próprias da idade.

E no pós reunião e no regresso a casa, quem fica é a Sandra Sousa, a Dulce, a outra Sandra, a Susana e a Isabel, porque são elas o suporte daquele Jardim de Infância. São elas que tratam as feridas, são elas que dão o comer, são elas que dão o colo, são elas que levantam a voz para repreender, são elas que os educam quando nós, pais e mães não estamos. E é a elas que também vai este grande agradecimento. Como costumo sempre dizer fui ensinada a agradecer e “quem meus filhos ama, minha boca adoça”. Palavras para quê?! O meu muito obrigada por estarem quando eu não posso estar.

 Sem esquecer a professora Raquel e a professora Mafalda que por menos contacto que tenham são sempre "estruturas" leais e de amizade com quem eles também contam. Mais um braço amigo para crescer e ser feliz. 

O meu muito obrigado nunca chegará para vos retribuir o que dão, mas chegará para que muitos vejam o trabalho magnífico que fazem com as nossas crianças.

Um até já…porque Setembro é já ali ao virar da esquina…

 

 

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.