Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Ele, o microfone e a mamã

23
Jan18

Uma tarefa dificultada

Liliana Silva

20160306_174902 (1).png

 

 

 

Meu querido rebento, carne do meu corpo, sangue do meu coração...

 

Em tempos

Fizeram-me crer que te habituei mal quando te carregava ao colo para te acalmar

Fizeram-me crer que tinhas fome quando te alimentava com o meu leite

Fizeram-me crer que era stressada demais quando não dormias o suficiente

Hoje 

Dizem-me que te "faço mal" quando te deixo beber um sumo de quando em vez

Dizem-me que comeres um chocolate te irá tornar doente

Dizem-me que deves comer refeições completas e saudáveis, sem recorrer a estratégias

Dizem-me que não te devo entreter com um tablet ou um telemovel

Dizem-me que não deves habituar-te a dormir na nossa cama

Dizem-me que os castigos não servem para ensinar, que as palmadas são vilência excessiva, que temos até de frequentar cursos de parentalidade consciente para aprender a lidar com crianças

Dizem-me que o mimo em excesso te deixa "fragilizado"

Dizem-me que a nossa cumplicidade te irá deixar menos capaz de enfrentar o mundo lá fora

Dizem-me que "te prejudico" quando te tento proteger deste mundo ingrato

 

Mas sabes, nunca mo disseram nem dizem na minha cara. Nunca me chamaram para me "ensinar". Nunca me alertaram para me "ajudar". Nunca. A maneira como o fizeram foi intimidatória e a maneira como hoje o fazem é em modo crítico. 

Mas hoje mais do que ontem, e menos do que amanhã estou preparada para estes olhares "pistola" e para estas "saídas desnecessárias". Porque ser mãe é ingrato, mas ser mulher é ainda mais competitivo neste mundo onde tudo serve para disparar balas que deixam marcas para a vida. 

Descobri que tudo isto são tretas...e que o instinto materno ganha pontos extra a todas estas sugestões e reprovações.

Porque te escrevo isto? Para que saibas que cresci contigo. Para que saibas que preciso que me mostres o melhor de mim. Para que saibas que juntos somos mais fortes e que contigo e por ti vou até ao fim, ao meu fim e ao fim dos outros. Porque quem não vem por bem, fica onde está.

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D