Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ele, o microfone e a mamã

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

"Radicalismos" de uma mãe galinha, rabiscos e cantorias do pequeno príncipe T e vida, muita vida para vos mostrar. No nosso T3 vivemos e sorrimos muito.

Ele, o microfone e a mamã

03
Nov17

Zapping forçado!

Liliana Silva

5.jpg

 

 

Começo a ficar um pouco farta de desligar a TV em horário de notícias. Começou a ser prática corrente deixar o aparelho a negro ou quando seria hora de informação passar a ter essa hora no canal Panda ou na Disney Channel. Começamos a entranhar a ideia de que não queremos assistir a desastres naturais e a seres anormais. Perdoem-me mas estou mesmo farta. 

Ontem, acabados de sentar o miúdo para jantar, dei por mim a mudar mais uma vez de canal porque a estupidez humana ultrapassa todos os dias o limite do aceitável e do senso normal das coisas.  Ontem até ele achou estranho, porque na realidade ele vê os episódios que quer até ao horário de jantar e sabe que a partir das 20h acabam-se os bonecos para que a mamã e o papá também possam andar informados do mundo que os rodeia. Ontem voltei a ser forçada a fugir aos acontecimentos diários porque de imediato ouvi "as imagens já foram tratadas mas continuam a ser imagens de violência desmedida e com possibilidade de ferir a susceptibilidade dos mais sensíveis, alertamos por isso para este facto". 

O que poderia eu fazer?! A minha primeira reacção foi pegar no comando e fazer um zapping atordoado por todos os demais canais de informação...raça da sorte é que todos eles naquele momento estavam a transmitir as mesmas imagens. Soou o alarme na minha cabeça e restou-me o canal que aquela hora e naquela TV estaria desimpedido de imagens que fustigam os nossos sentidos interiores. 

Hoje vi as imagens e desculpem-me mas às vezes tenho nojo de certos seres que se dizem humanos , mas que disto pouco ou mesmo nada têm. Hoje vi as imagens e senti-me agredida física e psicologicamente. Hoje vi as imagens e revoltei-me mais uma vez com aqueles que muito podem fazer e nada fazem. Hoje vi as imagens e desta feita já não me admira que as pessoas não parem para ajudar, não parem para perguntar, não parem para auxiliar. Hoje vi as imagens e compreendo que estamos a criar nas pessoas uma política de medo e de bocas fechadas tudo porque não sabemos o que estará do lado de lá. Custa-me aceitar que nós, seres humanos estejamos condenados por meia dúzia de bandalhos de merda que instalam o caos, o medo e a guerra mais facilmente do que auxiliam os pobres, os refugiados e os sem-abrigo.

Não...lamento mas não me apetece explicar a uma criança de 5 anos que somos seres dotados do melhor mas também do pior. Lamento mas não consigo colocar-lhe por palavras simples aquilo em que as pessoas se estão a tornar. Lamento, e não me digam nem me acusem que estou a esconder o sol com a peneira ou que estou a criar um ser indefeso para o futuro. Estou no direito de colocar as minhas asas protectoras ao seu redor e evitar que perceba já e apenas com 5 anos que o mundo ao qual eu o trouxe é tudo menos perfeito. Terá tempo e aventuras próprias para perceber que aqui ninguém é bom ou mau por acaso. 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2017
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D